top of page
  • Foto do escritorAndré

Zero to Hero: Blockchain para uma nova geração de desenvolvedores e a evolução na web3

Atualizado: 26 de jan.

A História da realização de um sonho: Apresentar a Blockchain para uma nova geração de desenvolvedores e ir além


Introdução

Durante os dias 26 e 30 de julho, a Campus Party Brasil 15 (#CPBR15) recebeu um emocionante Hackathon, atraindo mais de 100 mil visitantes na área gratuita e 20 mil na área restrita. O evento reuniu entusiastas de todas as idades, apaixonados por tecnologia, inovação, computadores, anime, jogos e robótica. Dentre os desafios propostos, a Caixa Econômica Federal e a VISA buscaram soluções para atrair jovens e incentivar a educação financeira. Surpreendentemente, a equipe vitoriosa apresentou uma solução inovadora usando a infraestrutura da blockchain, conquistando o maior prêmio da edição.


O Início da Jornada

Tudo começou com a ideia aparentemente simples da equipe Confraria Web3 de analisar a proposta e desenvolver uma solução utilizando a Blockchain. O líder da equipe, André, desejava apenas ter a oportunidade de apresentar essa ideia para alguns desenvolvedores da Geração Z em um pequeno palco secundário do evento. No entanto, o destino reservou um resultado surpreendente, com a equipe sendo coroada campeã e tendo a oportunidade de apresentar suas propostas para centenas de pessoas na festa de encerramento, deixando todos empolgados com a suas palavras e finalizando com um vibrante #VIVABLOCKCHAIN.

As Dicas Preciosas

A motivação de André para participar do desafio veio de dicas valiosas da prodígio Sabrina (BrinaWeb3), que já conquistou seis Hackathons, três deles internacionais. Ela explicou que a participação nesses desafios é simples, exigindo apenas a leitura do regulamento, inscrição e a formação de uma equipe para entregar o projeto. Algumas vezes, o prazo é curto, mas essas situações oferecem boas oportunidades.

Formando a Equipe

Inspirados pelas dicas de Sabrina, André e Gustavo, especialista em usabilidade da Web3, formaram a equipe. No primeiro dia do Hackathon, encontraram Igor, um jovem da Geração Z com grande vontade de participar, mas preocupado com a falta de um terceiro desenvolvedor. Contudo, enfrentando o desafio do trabalho em equipe, decidiram procurar mais um integrante e, caso não tivessem sucesso, seguiriam com três integrantes. Apesar de não encontrarem mais um elemento para o grupo, receberam uma dica importante do amigo Wellington, que sugeriu mudar para a proposta da Caixa e da Visa, pois não demandava código de programação.

Aprendendo com os Impasses

A primeira lição aprendida foi a importância da adaptação ao longo do caminho. Inicialmente, a equipe planejou ensinar os jovens por meio de vídeos interativos, mas perceberam que a abordagem era complexa na fase de desenvolvimento. Diante do segundo impasse, optaram por uma solução mais simples e gamificada, permitindo que cada membro apresentasse sua ideia de jogo com perguntas, para que o grupo decidisse o caminho a seguir.

A segunda lição veio da necessidade de entender o público-alvo. A mentoria marcada para o último horário levou-os a compreender que pesquisar e entender as necessidades do público eram cruciais para uma solução real. A equipe realizou uma intensa pesquisa no evento, coletando 18 respostas através de uma abordagem prática e interativa, o que os ajudou a desenvolver uma solução mais alinhada com o perfil do público.


A Força de Vontade que Define o Destino

A terceira lição foi aprendida através da força de vontade de André, o líder da equipe. Diante das respostas da pesquisa, que não condiziam com a ideia inicial, ele decidiu alterar todo o projeto e trabalhar durante a madrugada para desenvolver uma nova solução. Com determinação, ele conseguiu criar algo ainda melhor, mostrando que a vontade de superar os desafios é essencial para o sucesso.


O Momento Mágico na Campus Party

A determinação de André foi posta à prova novamente durante a gravação do vídeo explicativo. Diante de dificuldades técnicas e do cansaço acumulado, ele quase desistiu, mas a atmosfera positiva e empolgante da Campus Party o motivou a seguir em frente. Ao ver as pessoas se divertindo, a influenciadora que admirava e a alegria contagiante do evento, ele encontrou forças para superar qualquer obstáculo.

A Maior Conquista

Para André, a maior conquista não foi apenas vencer o prêmio ou falar sobre blockchain, mas sim inspirar e motivar outras pessoas a participarem de desafios semelhantes. A equipe compartilhou seu trabalho com todos, orientando e capacitando aqueles que não tiveram a oportunidade de participar. Eles perceberam que a busca por aperfeiçoamento e inovação deve ser constante e que, mesmo diante da possibilidade de serem copiados, a criação é algo único e valioso.





Conclusão

O Hackathon da Campus Party Brasil 15 (#CPBR15) proporcionou uma jornada emocionante para a equipe Confraria Web3. Com determinação, adaptação, pesquisa e uma dose de sorte, eles conquistaram o maior prêmio do evento e inspiraram outros a seguirem seus sonhos. A história dessa equipe prova que a blockchain tem o poder de conectar mentes brilhantes, motivar jovens e incentivar a educação financeira para uma nova geração de jovens desenvolvedores. O futuro é promissor, e a mensagem de #VIVABLOCKCHAIN ecoa como um convite para explorar o potencial ilimitado dessa tecnologia transformadora.

Material Produzido



Demo da Solução:



Pitch de apresentação:


Apresentação em Slides:


Discurso da Festa de Encerramento:



363 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page